Mudamos o layout e isso pode gerar alguns bugs nas postagens, se perceber algum avise: contanto@informaticando–ajuda.com

Três razões para devolver seu iPhone 4 e mais três para ficar com ele

Por: João Manoel,

 

Em meio à grande discussão provocada pelo problema de antena do iPhone 4 e pela decisão tomada pela Apple de distribuir capinhas gratuitas, selecionamos algumas razões para você continuar com o aparelho ou aproveitar a opção de devolução e reaver seu dinheiro de volta. É importante lembrar que, segundo Steve Jobs, só será possível devolver o telefone em até 30 dias após a compra e desde que o aparelho esteja em perfeito estado.

 

Vamos começar pela parte ruim: três razões para devolver o mais novo telefone da Apple, que já ultrapassou a marca de três milhões de unidades vendidas em pouco mais de três semanas de vendas.

 

1. Fita adesiva e goma de mascar

 

O problema da antena parece ser um dilema de engenharia de hardware. A apresentação para imprensa na última sexta, 16/7, em que Steve Jobs explicou a razão de o iPhone 4 ser ótimo e que todas as pessoas com problemas são apenas bobões chorões, foi seguida de uma “solução” na forma da distribuição de capinhas gratuitas para evitar o contato da pele humana com a área sensível da antena e reduzir o problema.

 

Eu tenho uma capinha. E concordo que ela alivia o problema, assim como a Consumer Reports também concorda. No entanto, este parece ser um problema que só poderia ser realmente consertado ao se reprojetar o gabinete e a revolucionária antena do iPhone 4.

 

2. Sensor de proximidade.

 

Ele recebeu apenas uma pequena menção ao final da apresentação de Jobs mas para mim, e muitos leitores, o problema do sensor de proximidade é na verdade maior do que o chamado “antennagate”.

 

Mesmo após a Apple resolver o problema de exibição de sinal com a atualização do sistema iOS 4.0.1 (lançada na véspera da conferência para imprensa), e mesmo depois de resolver o problema de queda de sinal ao colocar o iPhone 4 em um case, a porção telefone do desejado smartphone continua disfuncional. O sensor de proximidade, que deveria desativar a tela e evitar ações inadvertidas enquanto você está em uma ligação, é estranho. Ele ativa e desativa a tela de maneira aleatória, resultando em números pressionados, ativação do viva-voz ou deixando a ligação no mudo, ou até erroneamente encerrando a ligação.

 

3. Android.

 

Vamos admitir. O Android é tão capaz, ou até mais, que o iOS como um sistema operacional para smartphones. Ele é compatível com conteúdo Flash da Adobe. Possui uma cultura mais aberta que não tem as questões bizarras de controle da App Store da Apple, além de rodar em uma grande variedade de aparelhos de várias operadoras (nos EUA, o iPhone possui exclusividade com a operadora AT&T).

 

 

E agora vamos ver as três razões para manter o seu iPhone 4.

 

1. Ele é incrível.

 

Deixando os problemas de lado, ele é um ótimo smartphone. O iPhone 4 é um produto significativamente melhor do que a RIM faz com o BlackBerry, e ferramentas e tem recursos de segurança muito melhores para administradores de TI gerenciarem o aparelho em uma infra-estrutura de rede do que o Android oferece atualmente.

 

A tela de altíssima resolução chamada de “Retina Display”, o processador mais rápido, maior quantidade de memória RAM, câmera frontal e a melhorada câmera traseira, são todas ótimas razões para escolher o iPhone 4.

 

2. Investimento feito.

 

Consumidores que já participam da revolução do iPhone (ou iPod Touch, ou iPad) já investiram tempo e dinheiro na cultura do iPhone. O Android Market (loja de aplicativos do sistema da Google) está crescendo rapidamente, mas ainda possui apenas uma fração da quantidade de apps disponíveis na loja da Apple. Mudar para uma plataforma diferente significaria abandonar o investimento em aplicativos – e o tempo que levou para se familiarizar com eles e configurá-los – e ter de encontrar e comprar softwares equivalentes em uma plataforma de smartphone diferente.

 

3. Ele não está sozinho.

 

Steve Jobs foi impetuoso ao apontar que vários problemas apontados no iPhone 4 afetam apenas uma pequena porcentagem de seus cerca de três milhões de usuários. Isso pode ser verdade, e pode ser que os problemas do telefone da Apple pareçam maiores do que realmente são, em razão do enorme volume de iPhones 4 no mercado.

 

O EVO 4G e o Droid X – atualmente o que há de melhor em smartphones Android, também possuem seus problemas. Não, eu não estou me referindo ao estúpido tipo de problemas que Steve Jobs desesperadamente tentou demonstrar: que o “death grip” é comum entre todos os smartphones. Estou falando de problemas de verdade.

 

Há inúmeros relatos de que a tela do EVO 4G está se soltando e que está perdendo sensibilidade ao toque – uma enorme desvantagem para um aparelho touchscreen. E vários proprietários do Droid X estão reclamando de que a tela apresenta faixas, ou oscilações, ou pixels mortos, em alguns casos deixando a tela inutilizável – também uma enorme desvantagem para um smartphone sensível ao toque.

 

Veredito

 

No final das contas, ao menos para mim, os prós superam os contras no iPhone 4. Eu realmente acredito que o Android é um excelente sistema operacional e que pela grande quantidade de aparelhos e operadoras que possui vai uma hora superar o iPhone em números. Também acho que a abordagem paternalista e arrogante da Apple ao lidar com os problemas do iPhone 4 poderia ser razão suficiente para uma pessoa devolver seu telefone ou não comprar mais produtos da companhia, que registrou o melhor resultado financeiro de sua história, com as receitas gerais de US$15,7 bilhões atingidas no terceiro trimestre fiscal deste ano, conforme divulgado ontem, 20/7.

 

Dito isso, não existe um sistema operacional perfeito, ou smartphone perfeito, ou até operadora de telefonia perfeita. Todos eles têm algum tipo de problema e acaba sendo uma questão de opinião para decidir qual é o menos pior. Enfim, o iPhone 4 – apesar de um pouco desapontador pelo que aprendemos a esperar da Apple – ainda é um smartphone mais do que capaz. Isso, combinado com a biblioteca de aplicativos que acumulei, e o fato dele compartilhar uma plataforma e sincronização do iTunes com o meu iPad, significa que vou continuar com o meu aparelho e esperar que a Apple conserte o resto dos problemas...rapidamente (por favor?). Jobs disse que a solução dos cases gratuitos seria válida apenas até 30 de setembro, pois até lá a companhia vai reavaliar o caso. Vamos aguardar.

 

Mas se você pensa diferente, e não quer mais ficar com seu iPhone 4, não se esqueça do prazo de 30 dias da Apple para devolver o aparelho e receber o seu dinheiro de volta.

Via: MacWorld.